Comissionado do governo do Acre e filho de pastor são acusados de tentar assassinar modelo atropelado - Giro Feijó

Post Top Ad

Responsive Ads Here
Comissionado do governo do Acre e filho de pastor são acusados de tentar assassinar modelo atropelado

Comissionado do governo do Acre e filho de pastor são acusados de tentar assassinar modelo atropelado

Share This
O jovem modelo Neto Miranda foi vítima de tentativa de homicídio ao deixar a Boate Zouk, localizada na Aveniada Ceará, em Rio Branco, na madrugada deste sábado (10).
De acordo com o boletim de ocorrência registrado pela vítima, na Delegacia de Flagrantes, a agressão teria sido praticada pelo assessor do governo do Acre, Bernado Franklin Rabelo, e Wesley Barros, filho do pastor líder da igreja Ministério Geração, Arnaldo Barros.
Neto conta que, após discussão, foi agredido por Bernardo. De acordo com o boletim, após a agressão, Bernado e Wesley usaram seus carros para atropelar o modelo, que ficou caído no chão ferido.
Após o atropelamento, o assessor do governo fugiu do local e ainda não foi encontrado. Já Wesley, ao tentar atropelar Neto, perdeu o controle do carro e bateu em outro veículo. Impedido de sair do local, o acusado foi agredido por amigos da vítima. Wesley foi preso e conduzido à Delegacia de Flagrantes.
Bernado Franklin, que está foragido da polícia, é nomeado como cargo comissionado na Secretaria de Articulação Institucional, pasta gerida por Francisco Nepomuceno, o Carioca. Ele recebe do Estado o valor de R$ 3.864,00 por mês para desenvolver atividades de designer.
Procurado para comentar o caso, o governo do Acre, por meio de sua assessoria, afirmou que não é responsável pelas atitudes da vida pessoal de ninguém. “E se ele cometeu o delito, deve responder por ele”, informou em nota. Questionada se o rapaz pode ser exonerado pela atitude, a assessoria enfatizou que não teria como responder por isso.
 o pai de Wesley Barros, o Pastor Arnaldo, que afirmou que de fato seu filho se envolveu em um briga, mas que ele não teria atropelado o jovem Neto Miranda. “Ele apenas tentou fugir da confusão e acabou sendo linchado”, explicou. Ele atribuiu a culpa do atropelamento ao assessor do governo, Bernardo Rabelo, e reconheceu que seu filho estava sob efeito de bebida alcoolica.
Após o atropelamento, Neto Miranda foi encaminhado ao Pronto Socorro de Rio Branco, onde foi avaliado e medicado.  A família do jovem também foi procurada pela reportagem para se manifestar, mas até o momento optou pelo silêncio.
fonte  www.ac24horas.com  contilnetnoticias.com.br

Videos

Post Bottom Ad

Responsive Ads Here

Pages