Última hora
recent

Mulher recebe conta de luz de quase R$ 18 mil no Acre

A funcionária pública Maria Aparecida Gomes Ferreira, de 44 anos, está no escuro desde o início desta semana. Ela, que mora na Vila Benfica, zona rural de Rio Branco,  relata que recebeu uma fatura no valor de quase R$ 18 mil, referente ao mês de junho, e não tem como pagar a conta.
A situação, segundo ela, ocorreu após a troca do padrão de energia feita pela Eletrobras Distribuição Acre.  A empresa alega que o valor cobrado está correto e corresponde a energia usada irregularmente e não paga pela consumidora. 
"Não estava em casa quando trocaram o meu padrão, quem assinou foi meu marido que não sabe ler nem escrever direito. Instalaram o aparelho novo e levaram o antigo sem a minha autorização. Dois meses depois enviaram o boleto de quase R$ 18 mil. Fui até a Eletrobras-AC procurar o motivo desse valor, alegaram coisas que não existem, mas não provaram nada", contou.
Antes da troca do padrão, Maria diz que pagava no máximo R$ 62. Ela disse ainda, que a situação piorou na última semana quando cortaram a energia da casa dela. Mesmo com o prazo dado ela Eletrobras-AC, a funcionária pública alega que não tem condições de pagar a dívida.
"Não tenho condições de pagar isso. Estou doente, pedi até afastamento do meu trabalho. Me disseram que a única coisa que poderiam fazer por mim era parcelar o valor. Mas, o erro foi meu, ou foi deles? Eles disseram que eu pagava um valor que não era o correto, mas não provaram a irregularidade ou como isso teria ocorrido", salientou.
Para não ficar no escuro, Maria conta que pretende procurar um local para alugar até que a situação seja resolvida. "Moro em casa própria, mas não posso ficar sem energia. Não tenho como pagar isso de forma nenhuma. Isso é um absurdo, não podem fazer isso conosco. Eles nunca ouvem a gente, alegam que havia 'gato', mas quando foram na minha casa disseram que era apenas uma troca de padrão ao invés do motivo real. Não sei mais o que fazer", lamentou.
Eletrobras-AC aponta irregularidades
Ao G1, o gerente do departamento comercial da Eletrobras-AC, Roberto Monteiro informou que o valor é uma fatura de recuperação de consumo. Segundo ele, isso significa que durante algum período a unidade consumidora não emitia corretamente o consumo de energia.
A empresa fez uma fiscalização na unidade consumidora, onde foi detectado que havia irregularidades na medição. O medidor foi encontrado sem os lacres e o disco de leitura estava parado mesmo com passagem de energia. Então adotamos os critério previstos da resolução 914 e processou a unidade por recuperação do preço de energia em 36 meses, por isso a fatura de R$ 17 mil", explica.
Monteiro ressaltou ainda que a mulher também possuía um comércio juntamente com a casa. "Era uma unidade mista. O cliente deve comparecer à empresa e apresentar sua defesa em até 30 dias. Se ele não aparece nesse período, a gente entende que o que foi decidido deve ser seguido", ressalta.
fonte  Do G1 AC
equipe giro feijó

equipe giro feijó

Comentários desta notícia

Atenção, não somos responsáveis pelo conteúdo do comentário que você escrever aqui, mas podemos exluir se for necessário!
Tecnologia do Blogger.