Última hora
recent

quais as causa do tremo de terra sentido no acre ?

Um forte terremoto foi registrado na noite dessa terça-feira (24) na região de Ibéria,  Peru, na fronteira com o Brasil. Segundo o site APOLO 11, de acordo com o Serviço Geológico dos Estados Unidos, o tremor teve magnitude de 7,6 na escala Richter. No Acre, em diversas cidades as pessoas abandonaram os prédios, provocando um certo tumulto, o abalo também foi sentido em Manaus /AM. É importante salientar que abalos de forte intensidade naquela região fronteiriça são bastante comuns e ocorrem devido à subducção da placa de Nazca, que mergulha abaixo da placa sul-americana a uma velocidade de 70 milímetros por ano. Entre a fossa Chile-Peru, até a costa oeste do Peru, a placa de Nazca é sismicamente ativa até profundidades de cerca de 200 km, se tornando praticamente estável até o leste do Peru a profundidades entre 200 e 500 km.
Entretanto, abaixo da fronteira entre Peru e Brasil, a placa de Nazca se torna novamente ativa entre 500 e 650 km de profundidade e foi justamente ali que ocorreu a ruptura observada na terça, provocando dois fortes abalos de 7.6 magnitudes. Estudos geológicos mostram que a parte profunda da placa de Nazca, na qual os terremotos ocorreram, levou cerca de 10 milhões de anos para mergulhar sob a placa da América do Sul.
Captura de Tela 2015-11-25 às 12.11.39
Os terremotos que ocorrem a profundidades focais superiores a 300 km são conhecidos como “deep-focus” ou de foco profundo. Normalmente, esses tremores causam muito menos destruição que aqueles que ocorrem próximo à superfície, mas podem ser sentidos a grandes distâncias dos epicentros. O maior terremoto de foco profundo já registrado ocorreu em 2013 na placa tectônica do pacífico, a 600 km abaixo do Mar de Okhotsk, no nordeste da Rússia. O evento foi calculado em 8.3 magnitudes e pode ser sentido em toda a Ásia, Moscou e Nova York. Em 1994, outro tremor de 8.2 magnitudes ocorreu 600 km abaixo da Bolívia e foi tão intenso que fez tremer prédios nos EUA e Canadá.

fonte   
climatologiageografica.com

equipe giro feijó

equipe giro feijó

Comentários desta notícia

Atenção, não somos responsáveis pelo conteúdo do comentário que você escrever aqui, mas podemos exluir se for necessário!
Tecnologia do Blogger.