Última hora
recent

Água não é um direito básico humano e tem que ser privatizada'' Afirma presidente da Nestlê

 

A privatização da água: Nestlé nega que a água seja um direito humano fundamental.
A maior empresa produtora de alimentos industrializados do mundo, na figura de seu chairman, declara e acredita que a resposta para as questões globais da escassez da água no planeta é a privatização da mesma.  
O chefe da Nestlé, o chairman  Peter Brabeck-Letmathe, acredita que “o acesso à água não é um direito público.” Também não é um direito humano. Então, se a privatização é a resposta, é nesta empresa em quem o público deve colocar a sua confiança?

O atual Chairman e ex-CEO da Nestlé, Peter Brabeck-Letmathe, que é a maior produtora de alimentos industrializados do mundo, acredita que a resposta para as questões globais da água é a privatização da mesma. Esta afirmação está no registro da empresa maravilha que vendia “junk food”* na Amazônia e que tem investido dinheiro para impedir a rotulagem de algum de seus produtos que são produzidos com Organismos Geneticamente Modificados-OGM, tem ainda um preocupante registo no que diz respeito a ética e saúde da sua fórmula de leite infantil industrializado, e implantou um ciber-exército de forma a monitorizar a crítica à empresa na internet e as discussões nas redes sociais.
{n.T. Marketing antiético de leite artificialDesde 1977 (com uma quebra entre 1984-1988), a Nestlé tem sido alvo de um boicote internacional por suas estratégias de marketing duvidosas. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que cerca de 1,5 milhão de crianças morrem a cada ano por causa da alimentação inadequada, porque as crianças que são mais vulneráveis à doenças estão sendo alimentados com mamadeira em substituição ao leite materno, em vez de receberem leite materno sempre que for possível [Nota de rodapé: www.babymilkaction.org ]. Como a maior empresa produtora de leite industrializado e artificial para bebês do mundo, controlando 40% do mercado, a Nestlé tem sido vista como uma das principais causas desta catástrofe, embora outras empresas, como a empresa holandesa, Dumico e a empresa dos EUA, Mead Johnson também estão implicadas.Fonte: http://www.corporatewatch.org.uk/?lid=240}
Esta é, aparentemente, a empresa em quem deveríamos confiar para gerir a nossa água, apesar do registo de grandes empresas de engarrafamento como a Nestlé terem um histórico de criação de escassez:
eles comandam toda a produção de alimentos e bebidas industrializadas do mundo

Às grandes empresas multinacionais de bebidas são normalmente dados privilégios como acesso a águas subterrâneas (e até isenções fiscais), porque elas criam postos de trabalho, o que é aparentemente mais importante para os governos locais (principalmente em países de terceiro mundo) do que o direito à água para os seus cidadãos pagadores de impostos.


Essas empresas, como a Coca-Cola e a Nestlé (que engarrafa água subterrânea suburbana de Michigan e chama-lhe Poland Spring) sugam milhões de litros de água por dia, deixando as populações a sofrer com a escassez da água. (Fonte)
Mas o Chairman, Peter Brabeck-Letmathe, acredita que “o acesso à água não é um direito público.” Também não é um direito humano. Então, se a privatização é a resposta, é nesta empresa em quem o público deve colocar a sua confiança?
Apenas como exemplo, entre muitos, do interesse desta empresa para com as populações até o momento:
Na pequena comunidade paquistanesa de Bhati Dilwan, um antigo governante da vila diz que as crianças estão a adoecer devido à água contaminada. Quem é o culpado? Ele diz que é garrafa de água da Nestlé, pois esta cavou um poço profundo que está a privar os moradores de água potável. “A água não é apenas muito suja, mas o nível de água caiu de 100 pés para 300 a 400 pés”, diz Dilwan. (Fonte)
Por quê? Porque se a comunidade tivesse água potável canalizada, a Nestlé ficaria privada do seu mercado lucrativo de água engarrafada sob a marca Pure Life (“Vida Pura”).
No vídeo legendado abaixo, de alguns anos atrás, Brabeck discute os seus pontos de vista sobre a água, bem como alguns comentários interessantes sobre a sua visão da natureza – que é “cruel” – e, claro, a declaração obrigatória de que o alimento orgânico é ruim e os Geneticamente Modificados -OGM são bons. Na verdade, de acordo com Brabeck, você é essencialmente um extremista se tiver opiniões opostas às dele. É importante rever as suas declarações pois continuamos a ver o mundo à nossa volta transformando-se num ambiente mais mecanizado e robótico, a fim de evitar a Natureza impiedosa a que ele se refere.

No vídeo legendado a seguir, de alguns anos atrás, Brabeck discute os seus pontos de vista sobre a água:


A conclusão deste segmento é talvez a mais reveladora sobre a visão de mundo de Brabeck, como ele destaca um clipe de uma de suas operações de fábrica. Evidentemente, o papel de salvador do Grupo Nestlé no sentido de garantir a saúde da população global deve ser graciosamente recebido. Você está convencido desse papel de salvador?
Kevin Samson
Activist Post – Traduzido por Filipe T. Moreira
*Junk food (“comida lixo”, numa tradução literal do inglês), também coloquialmente, “porcaria” ou “besteira”, é uma expressão pejorativa para “alimentos com alto teor calórico, mas com níveis reduzidos de nutrientes”. In Wikipedia. Publicado em fevereiro de 2014.

Fonte: http://thoth3126.com.br
William Silva

William Silva

Comentários desta notícia

Atenção, não somos responsáveis pelo conteúdo do comentário que você escrever aqui, mas podemos exluir se for necessário!

Clique na imagem para entrar em contato

Tecnologia do Blogger.