Após ataques, 12 presos do Acre são transferidos - Giro Feijó

Post Top Ad

Responsive Ads Here
Após ataques, 12 presos do Acre são transferidos

Após ataques, 12 presos do Acre são transferidos

Share This
Após uma semana de ataques no estado, o  Instituto de Administração Penitenciária do Acre (Iapen-AC) fez a transferência de 12 presos, que cumpriam pena no presídio Francisco D'Oliveira Conde, em Rio Branco, nesta sexta-feira (26). Os detentos foram encaminhados para o presídio Federal na cidade de Mossoró, no Rio Grande do Norte.
A operação para a transferência iniciou durante a madrugada desta sexta e os presos foram levados em um avião da Polícia Federal, segundo o secretário de Segurança Pública, Emylson Farias. Outros oito presos, também considerados como lideranças de grupos criminosos no estado do Acre, foram transferidos do Francisco D'Oliveira Conde para o presídio de Segurança Máxima Antônio Amaro.
"Esses presos foram levados em comboio para o aeroporto de Rio Branco, lá foram feitos exames de corpo delito para serem encaminhados para Mossoró. São 12 pessoas de alto poder lesivo, que fazem parte do crime no estado e que têm certa liderança no mundo do crime. Não descarto a hipótese de outras transferências", afirmou o secretário.
Mais de 100 pessoas foram presas em todo o estado do Acre desde o início dos ataques, segundo informações da Segurança.
Quanto aos detentos transferidos para o presídio Federal, Farias afirma que se tratam tanto de pessoas presas durante as operações realizadas nos ataques, como de outros que já estavam no sistema prisional.
O diretor do Iapen, Martin Hessel, afirmou que com as transferências é possível que a situação dentro do presídio seja "tranquilizada". "Existe a questão de presos que têm comando em relação à motins e rebeliões, e nesse sentido, entendemos que essas transferências vão trazer uma certa normalidade de comportamento, tendo em vista que são pessoas que tinham essa liderança", disse.
Início dos ataques
A onda de atentados teve início após Macio Pires Teles do Nascimento, de 18 anos, morrer em uma troca de tiros com a polícia no bairro Vila Acre, na terça (16). Segundo a PM, Nascimento fez uma família refém durante um assalto e, ao tentar fugir, entrou em confronto com a PM e foi baleado.
Uma das nove ocorrências registradadas na primeira noite foi a perda total do arquivo cultural do Parque Capitão Círiaco. A Sesp-AC anunciou uma operação com a convocação de 373 agentes das polícias Militar, Civil, Federal e Rodoviária Federal (PRF), do Exército, do Corpo de Bombeiros e do Batalhão de Policiamento de Trânsito (BPTrans), além de representantes do Ministério Público (MP-AC) e do Judiciário.
fonte   g1.globo.com

Videos

Post Bottom Ad

Responsive Ads Here

Pages