Última hora
recent

Após ataques, mais de 40 celulares são apreendidos em presídio no Acre

Mais de 40 aparelhos celulares, além de facas e estoques, foram apreendidos nesta quinta-feira (18) no Pavilhão L do Presídio Francisco d'Oliveira Conde (FOC), em Rio Branco. A revista foi uma das ações tomadas pela Secretaria de Segurança Pública do Acre (Sesp-AC) em resposta a onda de ataques criminosos que o estado tem sofrido.
Os atentados iniciaram após a morte de um assaltante durante troca de tiros com a PM, na terça-feira (16), conforme a Sesp-AC.
A operação no presídio envolveu agentes penitenciários e policiais militares.O pavilhão revistado, segundo a PM, pertence à Unidade de Regime Fechado I, conhecido por Chapão, onde ficam os presos sentenciados.
Plano tático
Para evitar mais ataques, o Sistema Integrado de Segurança Pública (Sisp) elaborou o Plano Tático Operacional e mais de 300 agentes foram convocados para reforçar o policiamento.
As ondas de atentados iniciaram na madrugada de quarta-feira (17) em Rio Branco após Macio Pires Teles do Nascimento, de 18 anos, morrer em uma troca de tiros com a polícia no bairro Vila Acre. Nascimento teria feito uma família refém durante um assaltoe, ao tentar fugir, confrontou a Polícia Militar, que acabou revidando.
Inicialmente a polícia informou que o assaltante era menor de idade, mas depois o IML confirmou a identidade de Nascimento.
Após uma madrugada com ao menos nove ocorrência de ataques, entre eles a perda total do arquivo cultural do Parque Capitão Círiaco. Membros das polícias Militar, Civil, Federal e Rodoviária Federal (PRF), Exército, Corpo de Bombeiros, Batalhão de Policiamento de Trânsito (BPTras), além de representantes do Ministério Público do Acre (MP-AC) e do Judiciário participam da operação de reforço do policiamento.
Seis ônibus escolares e ao menos dois caminhões foram incendiados na madrugada desta quinta (18) em Senador Guiomard, distante 24 km de Rio Branco. Segundo a Polícia Civil, os ataques estão relacionados à onda de atentados ocorridos na capital acreana, quando incêndios e depredação de imóveis públicos foram registrados. O prefeito James Gomes acredita que oprejuízo é de quase R$ 1,5 milhão.
fonte  g1.globo.com
equipe giro feijó

equipe giro feijó

Comentários desta notícia

Atenção, não somos responsáveis pelo conteúdo do comentário que você escrever aqui, mas podemos exluir se for necessário!
Tecnologia do Blogger.