Última hora
recent

Municípios do Acre já começam receber recursos da repatriação

Os 24 municípios do Acre serão contemplados com uma parte do recurso arrecadado com a repatriação de dinheiro de brasileiros que estava depositado em bancos no exterior. São mais de R$ 30 milhões para dividir entre as prefeituras acreanas. Mais de 10% do total destinado ao Acre, cerca de R$ 17 milhões serão creditados diretamente no cofre da Prefeitura de Rio Branco. O recurso é incorporado ao Fundo de Participação dos Municípios (FPM).
A informação é da Confederação Nacional dos Municípios (CNM), que fez uma projeção sobre o repasse para todos os estados e municípios. A arrecadação de recursos da repatriação alcançou o valor previsto, segundo o Governo Federal. Sendo assim, R$ 5,7 bilhões serão partilhados entre as gestões municipais de todo o País. O montante que será repassado aos municípios equivale a um mês de repasse do FPM, ou seja, um “13º salário” depositado nas contas municipais.
O presidente da CNM, Paulo Ziulkoski, informou ainda que, além dos quase R$ 6 bilhões, outros R$ 240 milhões serão incorporados ao repasse do 1% do FPM de dezembro. “Como prevíamos, esse recurso vai ajudar os gestores municipais a fecharem suas contas este mês. Muita gente poderá se salvar de penalizações mais graves com esse aporte”, acredita. Ziulkoski dá um conselho aos gestores municipais.
“Agora, façam sua parte, economizem e não deixem restos a pagar”. A Receita Federal informou que o programa de regularização de ativos no exterior trouxe de volta à economia brasileira R$ 169,9 bilhões. Desse total, foram arrecadados R$ 50,9 bilhões, referentes ao Imposto de Renda (IR) e multa da formalização dos valores. O prazo para regularizar os ativos encerrou no dia 31 de outubro.
PARA ENTENDER A LEI DA REPATRIAÇÃO
A Lei 13.254, de janeiro de 2016, garantiu a Regularização Cambial e tributária sobre a repatriação de recursos, bem ou direitos lícitos, não declarados ou declarados incorretamente, remetidos, mantidos no exterior ou repatriados por residentes ou domiciliados no Brasil.
Pela Lei, do valor repatriado cabe o pagamento de 15% de Imposto de Renda, a título de capital, somados a 100% de multa sobre o imposto apurado. O valor da multa não será compartilhado com os Municípios, mas os 15% do IR serão distribuídos com Estados e Municípios, seguindo os critérios do FPM.
ARRECADAÇÃO
A CNM explica que o valor repatriado é diferente do valor arrecadado. O primeiro refere-se ao montante declarado pelo contribuinte ao Governo Federal e, portanto, trazido ao Brasil. Já o valor arrecadado é o valor obtido pelo governo com a aplicação das devidas multas. Estados e Municípios têm direito a receber apenas o montante obtido com o IR.

Ou seja, apenas R$ 24,5 bilhões são direcionados à partilha com os entes subnacionais. A partilha dos valores do IR respeita os percentuais do Fundo de Participação dos Estados (FPE) e do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) e, por isso, os Municípios receberão 22,5% desse valor.
fonte   www.jornalatribuna.com
equipe giro feijó

equipe giro feijó

Comentários desta notícia

Atenção, não somos responsáveis pelo conteúdo do comentário que você escrever aqui, mas podemos exluir se for necessário!
Tecnologia do Blogger.