Última hora
recent

Bandidos se passam por parentes e mulher perde R$ 1,5 mil em golpe

Uma acreana, que não quis ter o nome divulgado, perdeu R$ 1,5 mil ao cair em um golpe telefônico diferente dos comuns falsos sequestros. No último dia 9, ela recebeu a ligação de uma "prima" de outro estado, que pediu a transferência do dinheiro. A acreana chegou a conversar pelo WhatsApp com a parente, que tinha uma foto verdadeira no perfil.
O golpe começou com a ligação para o telefone residencial. Em tom de brincadeira, uma mulher perguntou "quem é sua prima preferida?" para conseguir extrair informações. "Eram várias brincadeiras e, por coincidência, meus primos fazem isso quando ligam. Acabei respondendo as coisas sem querer", conta.
O suposto grupo de parentes, então, deu a notícia de que se dirigia para Rio Branco de carro para visitar a família, como também costumam fazer, porém o veículo havia apresentado um problema. A vítima diz que os familiares chegaram a dizer o local exato da BR-364 onde estavam parados.
"Me deram o número de um mecânico e pediram para eu ligar. Liguei do meu celular, ele me adicionou no WhatsApp e começou a falar comigo. Dizia que os tinha encontrado e que problema havia no carro. Minha prima, então, também começou a falar comigo e havia uma foto verdadeira no perfil. Como eu ia duvidar? Até o prefixo era o mesmo", diz.
A acreana acredita que, para o golpe, a quadrilha deve ter pesquisado no Facebook informações como a cidade onde as pessoas moram. O pedido pelo dinheiro teve a justificativa de que o conserto do carro seria superior ao valor permitido para transações pelo aparelho. Por isso, a prima pediu para que o dinheiro fosse transferido para a conta do suposto mecânico.
"Todo tempo ela [prima] falando comigo e disse que meu tio perguntou se eu poderia transferir o dinheiro por causa do limite do banco. Só escapa de um golpe desse realmente quem não tem o dinheiro no momento. Era meu tio, eu não ia duvidar dele. Não tive a ideia de ligar porque estava falando pelo WhatsApp, tinha a foto dela", ressalta.
A acreana fala que descobriu que havia sido vítima de um golpe somente no dia seguinte, quando percebeu os familiares não chegaram de viagem. O motivo para divulgar a situação é como uma tentativa de alertar à população. Ela acrescenta que ainda não conseguiu registrar o boletim de ocorrência apesar de ter ido à delegacia.
"Não descobri no mesmo dia, senão nem ia conseguir dormir de tanta raiva. Não é nem pelo dinheiro mas por ter sido enganada. Todo mundo só conhece o golpe do sequestro, mas tem muitos outros. Só queria que descobrissem. A conta bancária era do Paraná, o prefixo da 'prima' era 69 [Rondônia] e do mecânico 68 [Acre]", salienta.
Polícia alerta
O delegado Alcino Júnior, da Polícia Civil do Acre, afirma que ainda são poucos os registros de ocorrências referentes a golpes telefônicos. Ele ressalta que o crime de estelionato ou extorsão virtual, como também é chamado, pode ser aplicado nos mais diversos casos, desde o sequestro falso até supostos pedidos de ajuda.
"A partir de um telefonema de qualquer natureza, desde um exame que o médico está pedindo ou uma pessoa que está pedindo ajuda em uma estrada, contate imediatamente a polícia. Não precisa desligar o telefone, mas peça para pessoas que estão do lado chequem se aquela pessoa está bem ou não", finaliza.
fonte  g1.globo.com
equipe giro feijó

equipe giro feijó

Comentários desta notícia

Atenção, não somos responsáveis pelo conteúdo do comentário que você escrever aqui, mas podemos exluir se for necessário!
Tecnologia do Blogger.