Última hora
recent

Governo boliviano anuncia processo contra LaMia e investigação do caso

O governo boliviano, por meio do ministro de Obras Públicas, Milton Claros, anunciou neste domingo (04) que dará início a um processo contra a empresa LaMia, responsável pelo voo que levava o time da Chapecoense de Santa Cruz de la Sierra a Medellín, na Colômbia, e sofreu acidente que vitimou 71 pessoas.
Será dado início também, segundo Claros, a uma investigação na empresa para verificar sob qual situação a Direção Geral de Aeronáutica Civil (DGAC) boliviana concedeu à LaMia a autorização para prestar serviços aéreos. O ministro adiantou, de acordo com o jornal local El Deber, que há indícios de descumprimento de deveres, tráfico de influências e omissão de denúncia.
"Nos chama poderosamente a atenção que exista relação entre servidores e esta companhia", disse, referindo-se à relação de parentesco existente entre um ex-diretor da DGAC e o dirigente geral da LaMia, Gustavo Vargas Gamboa. "Vamos chegar ao fundo deste assunto, saber que tipo de relação daí decorre, e vamos iniciar as ações penais e civis correspondentes. Nós, enquanto governo, estamos entrando com processo contra a empresa LaMia e algum de seus funcionários."
A investigação terá como foco sócios e diretores da companhia aérea, além de uma análise de suas contas. O ministro de Obras Públicas estipula prazo de dez dias para que o DGAC apresente os laudos que o levou a certificar a LaMia como apta a voar.

Informações preliminares apontam para suposta negligência da companhia aérea. Segundo áudio do próprio piloto, a aeronave que levava a Chapecoense apresentou falhas elétricas, por isso não conseguiu pousar. Um dos possíveis motivos do desastre seria a falta de autonomia de combustível.
fonte  uol.com
equipe giro feijó

equipe giro feijó

Comentários desta notícia

Atenção, não somos responsáveis pelo conteúdo do comentário que você escrever aqui, mas podemos exluir se for necessário!
Tecnologia do Blogger.