Última hora
recent

Jovem extrai dente e convive com inchaço no rosto há quase 1 ano

Desde março do ano passado, o agricultor Rogério Gadelha de Almeida, de 17 anos, tenta descobrir a causa de um inchaço no lado esquerdo do rosto após extrair um dente.
Ele, que é morador do Seringal Baturité, que fica a três dias de viagem de barco até a cidade de Sena Madureira, no interior do Acre, está internado no Hospital das Clinicas em Rio Branco e a família pede ajuda.
A irmã do jovem, a agricultora Maria José Gadelha, de 30 anos, conta que ele começou a sentir dores no dente em fevereiro de 2016 e em março resolveu ir a um dentista particular em Sena Madureira para fazer a extração.
Após o procedimento, o jovem retornou para o seringal e desde então, o rosto dele começou a inchar.
"Em agosto, como já estava muito inchado, ele resolveu voltar para Sena Madureira para ir no hospital. Fez exames e depois, em dezembro, foi para Rio Branco, fez mais exames e ficou internado por 16 dias. Como os resultados iam demorar, o médico liberou ele para casa para aguardar e agora em janeiro voltamos para a capital, mas ainda não saíram os resultados", afirma Maria.
Preocupada, a agricultora diz que ele já passou por vários exames e ainda não conseguiu descobrir as causas do inchaço. Como a família vive da agricultura e ela e o irmão estão em Rio Branco sem trabalhar, Maria diz que precisa de ajuda financeira para mantê-los na capital e também maior celeridade para resolver o problema do irmão.
O dentista Arnold Smangoszeviski afirma que o adolescente precisa passar novamente por um profissional especializado para verificar se outros dentes estão causando alguma infecção e, consequentemente, o inchaço no rosto.
Ele destacou que a extração, assim como qualquer procedimento cirúrgico, necessita de certos cuidados.
"Geralmente, quando o rosto começa a inchar por conta de um dente, essa lesão pode afetar não só um, mas dois ou três dentes. Às vezes a pessoa tira um dente, mas o outro pode estar mantendo aquela infecção. Outra coisa que normalmente acontece é que quem mora na zona rural costuma arrancar um dente e já sair andando e fazendo esforço físico. Não sei se ele fez, mas é preciso avaliar a situação", explica o dentista.
Quem se interessar em ajudar no caso de Almeida, pode entrar em contato com a irmã pelo número (68) 99903-9529. Ele está internado em um leito da enfermaria do Hospital das Clínicas na capital, Rio Branco.
fonte  g1.globo.com
equipe giro feijó

equipe giro feijó

Comentários desta notícia

Atenção, não somos responsáveis pelo conteúdo do comentário que você escrever aqui, mas podemos exluir se for necessário!
Tecnologia do Blogger.