Última hora
recent

Paciente toca violão e canta enquanto retira 'coração' do cérebro

Um morador de São Vicente, no litoral de São Paulo, enfrentou, acordado e tocando violão, uma delicada cirurgia no cérebro. O que mais espantou os médicos, porém, foi o curioso formato do tumor removido da cabeça de Rolden Batista, de 40 anos. Para surpresa de todos, Batista estava com um 'coração' perfeito dentro da cabeça.
O consultor de telecomunicações descobriu que precisaria fazer uma cirurgia no fim de janeiro. Depois de sofrer dois ataques epiléticos, ele foi internado e, só assim, soube que tinha uma doença. “Estava em casa e levantei a noite para ir ao banheiro. Quando voltava, travei em pé e a minha filha viu. Minha esposa me levou ao hospital e, depois de alguns exames, soube que tinha um tumor no cérebro”, conta.
No hospital, Rolden passou por exames, mas chegou a ter outras convulsões enquanto aguardava novas visitas médicas. "Foi algo muito feio. Me lembro de tudo. Lembro que eu fazia muita força para o lado e a minha língua embolou. Eu tinha consciência, mas não conseguia fazer nada. Era algo desesperador naquele momento", completa.
Tumor em forma de coração foi retirado do cérebro (Foto: Arquivo Pessoal)
Tumor em forma de coração foi retirado do cérebro
Para espanto e curiosidade de Rolden e dos médicos, os vários exames feitos pelo consultor mostraram que o tumor tinha o formato de um coração. A constatação serviu como uma espécie de sinal para que o paciente acreditasse que seria curado.
"Me pareceu um sinal bom em meia a tanta preocupação e angústia naquele momento. Deu um alívio para mim e para a minha família. Graças a Deus que ele foi tirado por inteiro da minha cabeça", diz.
Rolden conta que, após a constatação da existência do tumor, os médicos lhe apresentaram duas opções de cirurgia e, neste momento, a ideia de tocar violão surgiu.
“Eles me falaram que eu poderia ser operado totalmente sedado ou acordando durante a cirurgia. A segunda opção tinha mais chances de dar certo e preferimos essa. Com isso, o médico teve a ideia de que eu tocasse violão no meio da cirurgia”, explica.
Segundo o técnico de comunicações, o médico gostou tanto da ideia que, inclusive, levou o próprio violão para que Rolden tocasse e cantasse durante a cirurgia. "Eu não tenho violão. Ele, então, levou o dele. Durante a cirurgia, era como se estivesse com a cabeça fechada. Apenas em alguns momentos a minha língua enrolava por conta dos estímulos que eles faziam. Foi algo bacana e diferente", relata.
O fato surpreendeu a todos. Durante a cirurgia, além de tocar violão, Rolden falou com a esposa pelo telefone celular, um dos procedimentos básicos para testar os sentidos e respostas do consultor de telecomunicações. Ele afirma que ela ficou surpresa e não entendeu muito bem como aquilo seria possível.
Cirurgia foi realizada em janeiro deste ano (Foto: Rosa Santos/A Tribuna)
A cirurgia de Rolden ocorreu no fim do mês de janeiro. Agora, após receber alta hospitalar, ele se recupera em casa e, aos poucos, vai retomando a rotina da vida e aguardando o resultado dos exames para saber se precisará passar por outros tratamentos.
Família foi a base para a recuperação, segundo Rolden (Foto: Rolden Baptista/Arquivo Pessoal)
“O sentimento é de satisfação. Como se eu fosse um guerreiro. Foi tudo muito rápido e, saber que eu consegui passar por tudo isso, me dá um alívio. Sinceramente, não sabia que teria essa força toda. Tive muita fé e apoio da minha família”, finaliza.
fonte  g1.globo.com

equipe giro feijó

equipe giro feijó

Comentários desta notícia

Atenção, não somos responsáveis pelo conteúdo do comentário que você escrever aqui, mas podemos exluir se for necessário!

Clique na imagem para entrar em contato

Tecnologia do Blogger.