Última hora
recent

Pinto nasce com quatro patas no acre

Um fato nada comum surpreendeu um criador de aves de Mâncio Lima no início desta semana. Há cinco dias, na terça-feira (14), quando fazia a transferência dos pintos da chocadeira para o berçário, o criador Dienes Lima, de 25 anos, que também é professor universitário, se espantou ao perceber que uma das aves do criatório, que havia nascido naquele dia, era diferente das demais, era um pinto com quatro patas. O fato que fez o animal ser batizado com o nome da sua principal característica: “Quatro Patas”.
efc7591a-6ebd-4a7f-85fd-7df2a7d1febd-768x1024
“Eu crio codornas aqui, é como um hobby, mas aproveitamos para tirar uma renda, criamos também algumas galinhas caipiras, e vendemos as aves e os pintos de até quinze dias. Para mim foi uma surpresa. Eu percebi que este pinto era maior que os outros, quando peguei para ver, notei que ele tinha duas patas a mais, e por isso era maior, então decidi dar o nome para ele de “Quatro Patas”, devido também o personagem “Quatro Braços”, do desenho do Ben 10”, contou.
Dienes cria aves há pelo menos 06 anos, e segundo ele nunca havia presenciado nenhuma anomalia desta natureza. O que mais surpreende o criador foi o fato de “Quatro Patas” ter permanecido vivo. Segundo ele, normalmente quando os animais nascem com algum problema morrem em pouco menos de duas horas.
“Em todo esse tempo é a primeira vez que vejo isso. O mais interessante foi que eu pensei que ele morreria, mas já está vivo há cinco dias, e estou dando todo cuidado necessário para que ele permaneça com vida”, disse.
O criador confessou que não pretende vender o pintinho, ele vai criá-lo como um animal doméstico.
“Todos os outros pintos da mesma ninhada já foram vendidos, mas dele eu não me desfaço. Vou criá-lo e não vendo para ninguém”, finalizou o criador.
De acordo com a mestranda em zootecnia Tiane Nery, a anomalia em questão é um caso de polimelia, ou seja, é uma malformação congênita que têm como consequência a presença de membros supranumerários no animal.
“Esses membros supranumerários tendem a ser pequenos e deformados e podem ocorrer em qualquer espécie animal. A malformação congênita tem origem em distúrbios de embriogênese ( processo de formação do embrião) e não é transmissível através dos genes, mas por outras vias como: infecciosas, nutricionais, e anormalidades de crescimento. A consanguinidade dos animais criados em cativeiro ainda representa uma grande porcentagem na causa de malformação, pois um controle reprodutivo efetivo ainda é raro”, explicou a zootecnista
Tiane ressaltou ainda que no caso de duplicação de membros, independente da porção que é replicada, o defeito é considerado como um caso de siameses. Esse caso específico de polimelia não implica na morte do animal, a não ser que estivesse associada a outras malformações, como por exemplo, ausência de um orifício excretor. Com informações Juruáoline.
fonte  www.jornalatribuna.com
equipe giro feijó

equipe giro feijó

Comentários desta notícia

Atenção, não somos responsáveis pelo conteúdo do comentário que você escrever aqui, mas podemos exluir se for necessário!
Tecnologia do Blogger.