Última hora
recent

Após MP-AC abrir inquérito, SGA exclui três candidatos de concurso da Polícia Civil

Após o Ministério Público do Acre (MP-AC) instaurar um procedimento preparatório para apurar supostas irregularidades na realização da primeira fase do concurso da Polícia Civil, a Secretaria de Gestão Administrativa do Acre (SGA) excluiu os três candidatos que supostamente teriam sido favorecidos pela comissão organizadora. A decisão foi divulgada na edição desta quinta-feira (18) do Diário Oficial do Estado (DOE).
Os três candidatos estariam inscritos para fazer a prova no município de Cruzeiro do Sul, interior do Acre, mas o voo não pousou por condições meteorológicas e eles acabaram recebendo autorização para fazer o certame na capital acreana.
As secretarias de Polícia Civil e SGA informaram, nesta quarta (17), que todos os prazos do certame vão ser obedecidos até que haja alguma ordem judicial determinando a suspensão.
A secretária de Gestão Administrativa, Sawana de Carvalho, informou que a decisão foi da comissão do concurso público amparada pelo edital do certame. Segundo ela, a empresa tomou a decisão para “preservar todo o concurso”. Porém, assim que tomou conhecimento, a comissão fez valer o edital.
“Foram excluídos porque a comissão do concurso faz cumprir o edital. No edital era vedado um inscrito realizar a prova em outra cidade que não fosse a da inscrição dele. A empresa abriu a possibilidade por conta que eles demonstraram uma atipicidade e para preservar todo o concurso, para após a comissão analisar. O que vale é o edital, que é soberano no certame”, disse a secretária.
Na publicação, constam os nomes, cargo, número de inscrição em ordem alfabética dos candidatos excluídos. Entre eles estão João Bosco Lopes, inscrito para o cargo de agente de Polícia Civil, além de Ivan Ferreira e José Marcos Falcão, candidatos para as vagas de delegado.
A SGA e a Polícia Civil já haviam emitido uma nota descartando a possibilidade de cancelamento não último dia 10 de maio.
A instituição organizadora do concurso, Instituto Brasileiro de Apoio e Desenvolvimento Executivo (Ibade), confirmou a situação e afirmou que autorizou que os três fizessem prova em Rio Branco, após os candidatos comprovarem que voo foi cancelado por mau tempo. Além disso, o Ibade informou que a decisão estava prevista em edital.
“O órgão teve acesso a essa informação e entendeu que os candidatos não poderiam ser prejudicados, e foi solicitado que os colaboradores responsáveis pelas unidades de aplicação incluíssem todos que aparecessem com a declaração da companhia aérea e do comprovante de pagamento da passagem, respeitando assim, o edital do certame que prevê e autoriza a decisão tomada pelo executante em hipótese de força maior”, disse o Instituto.
O concurso
Mais de 13,2 mil pessoas se inscreveram para um total de 250 vagas no nível superior – 176 para o cargo de agente de polícia, 20 para auxiliar de necropsia, 18 para delegado e outras 36 para escrivão. As provas foram aplicadas nas cidades de Brasileia, Cruzeiro do Sul, Rio Branco, Sena Madureira e Tarauacá.
Além das provas objetivas, discursivas e de títulos, feitas no domingo, o processo inclui outras duas fases de caráter eliminatório e/ou classificatório. A segunda trata-se dos testes de aptidão física, exame psicotécnico, prova prática de digitação, exame médico e toxicológico e investigação criminal e social. A última etapa será o curso de formação.
fonte  g1.globo.com
equipe giro feijó

equipe giro feijó

Comentários desta notícia

Atenção, não somos responsáveis pelo conteúdo do comentário que você escrever aqui, mas podemos exluir se for necessário!

Clique na imagem para entrar em contato

Tecnologia do Blogger.