Última hora
recent

Sumiço de jovem no AC completa 2 meses e família diz não ter pistas: ‘estamos impotentes’

A procura pelo estudante de psicologia Bruno Borges, de 25 anos, completou dois meses neste sábado (27). Ele desapareceu no dia 27 de março, após deixar no quarto 14 livros criptografados e uma estátua do filósofo Giordano Bruno (1548-1600). A mãe do jovem, a psicóloga e empresária Denise Borges, diz que a família ainda não possui nenhuma pista sobre o paradeiro.
A mãe conta que costuma enviar e-mails para o filho, uma maneira de tentar manter a esperança de que ele visualize. “Penso que ele pode estar vendo, mas não há nenhuma resposta. Também não teve nenhuma resposta da polícia e estamos esperando. Estamos impotentes. Tem que esperar, não tem outra solução”, complementa.
O secretário adjunto de Polícia Civil, Josemar Portes, reafirma que as investigações continuam sendo feitas, mas ainda não houve progresso em relação à localização de Bruno. Ele acrescenta que a polícia ainda tenta confirmar a hipótese de que o acreano não sofreu nenhum tipo de influência externa para sair de casa.
“As diligências não cessaram e estamos trabalhando. Está cada vez mais improvável de se tratar de um ato de violência, de coação. Vemos que isso está se consolidando, mas não temos ainda a localização concreta dele”, salienta.
Mãe de Bruno, Denise Borges, diz que vai passar Dia das Mães acompanhada dos filhos e escreveu carta sobre o sumiço do jovem  (Foto: Reprodução/Facebook )
No Dia das Mães, no último dia 12, Denise revelou ao G1 que não cria mais expectativas em relação à data que o filho deve voltar. A família esperou o retorno no aniversário de Bruno e do irmão gêmeo, Rodrigo Borges, no dia 21de abril. A mãe disse que tenta evitar a ansiedade e frustração.
“Não quero alimentar mais nenhuma expectativa do dia que ele vai chegar, porque não chegou no aniversário do pai dele, nem no dele. Não vou ficar alimentando expectativa, ficar frustrada e amanhecer mal. Espero mesmo em Deus, não vou botar data. Vou acreditar que Deus mandará ele de volta”, falou.
Trabalho em família
Os 14 livros deixados pelo estudante estão sendo decodificados pela irmã mais velha, Gabriela Borges, de 28 anos, e por um amigo. Athos Borges, patriarca da família, tem procurado uma editora que se interesse em publicar o primeiro volume. Segundo Denise, os exemplares devem ser publicados na ordem sugerida por Bruno.
A leitura de quatro livros, conforme a mãe, ajudaram a entender melhor as ideias do jovem. “Me sinto mais confortada”, acrescentou. Existem livros com mais de 200 páginas. “O assunto abordado é filosofia, questões relacionadas ao conhecimento e teorias que ele vivenciou na prática, estudou e chegou a uma conclusão. É bem interessante”, ressaltou.
Desaparecimento
A última vez que os parentes viram Bruno, no dia 27 de março, foi durante um almoço de família. O acreano voltou para casa e todos – mãe, pai e irmãos – seguiram o dia normal de trabalho. Mais tarde, o pai dele retornou à residência da família, em Rio Branco, e percebeu que o filho não estava.
A retirada dos móveis do quarto, as inscrições nas paredes, teto e chão, bem como a chegada da estátua de aproximadamente dois metros de altura, ocorreram em um período de 20 dias, tempo em que o quarto ficou trancado e os pais viajavam de férias.
Sobre a estátua, o artista plástico Jorge Rivasplata, autor da obra, afirmou que fez a entrega no dia 16 de março. Pelo artefato, o artista afirmou ter recebido inicialmente R$ 7 mil e, em seguida, mais R$ 3 mil.
fonte  g1.globo.com
equipe giro feijó

equipe giro feijó

Comentários desta notícia

Atenção, não somos responsáveis pelo conteúdo do comentário que você escrever aqui, mas podemos exluir se for necessário!
Tecnologia do Blogger.