Última hora
recent

Homem que enrolou irmão na corrente e o prendeu na cama tem prisão mantida no Acre

Justiça do Acre decidiu manter a condenação de um homem que manteve o irmão idoso e deficiente mental em cárcere privado. A condenação a mais de seis anos de prisão e indenização de R$ 2 mil à vítima foi dada em outubro de 2016. O réu recorreu e teve a apelação negada, conforme o Diário da Justiça publicado na última quarta-feira (7).
Ao G1, o advogado do réu, Uêndel Alves dos Santos, disse que a defesa vai recorrer novamente. Santos diz que o cliente dele não nega que prendeu o irmão, mas afirma que foi uma atitude desesperada, pois a suposta vítima retornou para casa agressiva e revoltada após ficar mais de um mês fora e perdido na rua sem alimentação.
“A suposta vítima sofre de transtornos psicológicos e mentais e nessa ocasião estava agressivo com o irmão, a cunhada e o sobrinho. Ele prendeu o irmão em volta de uma corrente, levantou a cama e passou a corrente no pé da cama. Ele não tinha intenção de cárcere privado, tanto que o irmão levantou a cama e conseguiu fugir”, relata.
Conforme o Tribunal de Justiça do Acre (TJ-AC), o réu também teria pegado o cartão bancário do irmão e recebia o benefício previdenciário sem repassar o valor para o idoso.
A denúncia do Ministério Público do Acre (MP-AC) relatava que o homem teve o pescoço, mãos e pés presos por uma corrente que foi amarrada na cama, o que teria causado lesões corporais. Em depoimento, segundo o TJ-AC, o idoso afirmou que o irmão não lhe dava comida, o que foi confirmado por uma testemunha.
Santos diz ainda que durante as audiências ficou constatado que o irmão do réu tinha deficiência mental. Porém, o pedido de exame de sanidade, feito na apelação, foi negado. Ele explica que vão recorrer novamente por cerceamento da defesa e que há fatos que não ficaram claros.
“Os magistrados negam o exame sobre a ótica de que ele fala com coesão e que por essa razão não há necessidade de exame. Ao meu ver é um fundamento vago, pois se você reconhece que a pessoa tem um problema de cunho mental, isso não deve ser atestado em um exame? Deve ser atestado até onde o depoimento dele é dado de forma lúcida e até onde com base na doença”, diz.
fonte  g1.globo.com 
equipe giro feijó

equipe giro feijó

Comentários desta notícia

Atenção, não somos responsáveis pelo conteúdo do comentário que você escrever aqui, mas podemos exluir se for necessário!

Clique na imagem para entrar em contato

Tecnologia do Blogger.