Última hora
recent

Policial civil é preso suspeito de sequestrar acreano detido na Bolívia

Um policial civil, que não teve o nome revelado, foi preso suspeito de ter sequestrado o trabalhador rural Sebastião Nogueira do Nascimento, de 33 anos, que está detido na Bolívia. A prisão foi feita durante a “Operação Pátria Amada”, deflagrada nesta sexta-feira (23) pelo Ministério Público do Acre e Polícia Federal. Outros três bolivianos foram identificados como autores do crime.
Nascimento, segundo concluiu o MP após investigações, foi sequestrado por bolivianos que entraram na casa dele em Epitaciolândia, no interior do Acre, e o levaram até a Bolívia, onde a prisão teria sido forjada. Ele está preso desde o dia 11 de fevereiro no país vizinho.
O promotor de Justiça de Epitaciolândia, Ildon Maximiano, responsável pelas investigações, explicou que a operação foi feita após a identificação das autorias do crime. Segundo ele, o policial civil, que atua em Brasileia, teve participação direta no sequestro do acreano.
“Foram levantados os dados e confirmado o sequestro e, a partir disso, começamos a trabalhar com a elucidação da autoria. Dentro desses trabalhos, foi feita uma série de medidas que culminou na identificação dos policiais bolivianos autores do sequestro e mais o policial civil brasileiro, que foi detido”, informou o promotor.
Maximiniano ressaltou ainda que as investigações continuam para descobrir se existem outros casos envolvendo sequestros de pessoas para a Bolívia, além da possível identificação de mais pessoas e se chegaram a receber alguma contrapartida financeira.
“Prendemos esse policial civil e foi feita a condução coercitiva de outros dois na qualidade de testemunhas para prestar esclarecimentos sobre o sequestro. Além disso, foi decretada a prisão de outros três cidadãos bolivianos, que estão no exterior”, afirmou.
O policial civil foi levado para a sede da Polícia Federal na capital acreana para prestar esclarecimentos. Segundo o promotor, o policial deve responder pelo crime de sequestro qualificado
.
Mesmo com a notícia da identificação e prisão dos autores do sequestro de Nascimento, a irmã dele, a dona de casa Dilma Nogueira, de 37 anos, ainda não vê motivos para comemorar. Segundo ela, “o sofrimento continua o mesmo” para a família.
“Por enquanto estamos na mesma. O policial foi preso, mas meu irmão continua lá esse tempo todo e não há provas contra ele. A gente só vai ficar tranquilo quando ele estiver no Brasil. Por enquanto, a gente não está comemorando nada, porque o sofrimento é o mesmo”, disse a irmã.
A dona de casa contou ainda que, apesar da dificuldade, a família visita Nascimento toda semana e ele está abalado com a situação. “Ele está atordoado, nunca foi preso e está nessa situação. Muito triste”, concluiu.
Entenda o caso
Familiares do trabalhador rural denunciaram que ele foi "sequestrado" e, em protesto, chegaram a fechar as duas pontes que ligam o Brasil à Bolívia - Ponte da Amizade em Epitaciolândia e a Ponte Wilson Ribeiro em Brasileia. Porém, no dia 3 deste mês, as polícias Federal e Militar, em cumprimento de mandado judicial, retiraram os manifestantes e reabriram as pontes.
fonte  g1.globo.com
equipe giro feijó

equipe giro feijó

Comentários desta notícia

Atenção, não somos responsáveis pelo conteúdo do comentário que você escrever aqui, mas podemos exluir se for necessário!
Tecnologia do Blogger.