Última hora
recent

Polícia saudita prende jovem que apareceu de saia em vídeo

Conservadores pediram punição após divulgação das imagens nas redes
A Polícia da Arábia Saudita prendeu a jovem que aparece em um vídeo usando saia e blusa curta em locais públicos do país. A circulação das imagens pelas redes sociais despertou a ira de conservadores, que pediram a detenção dela por quebra do rígido código de vestimenta para mulheres no país. A TV estatal saudita informou nesta terça-feira que agentes a levaram na capital Riad por usar "roupas obscenas" e encaminharam o caso à promotoria.
A jovem saudita deflagrou uma onda de comentários de apoio e crítica depois de postar o vídeo em que aparece de saia curta e blusa cropped em público, na Arábia Saudita. Enquanto alguns internautas pediram a prisão da mulher por ter desrespeitado o código de vestimenta e a chamaram de "obscena", outros defenderam o direito dela sobre seu corpo e sua coragem. A mulher não foi identificada, mas é classificada como saudita pela mídia local.
No vídeo, publicado no Snapchat, mostra a jovem andando por um vazio ponto histórico de Ushaiager, no deserto de Najd. Ela estava sem a tradicional e conservadora abaia — espécie de vestido que cobre todo o corpo — e sem o véu islâmico para cobrir a cabeça e os cabelos. Naquele local, residem muitas das mais conservadoras tribos do país.
A jovem recebeu o incentivo de vários internautas, que exaltaram sua coragem e não consideraram o desafio ao tabu um crime que deveria levá-la à prisão. Alguns apontaram que seria a beleza da jovem a chamar a atenção se ela fosse estrangeira, não as roupas. Já o escritor Ibrahim al-Munayif se aliou aos usuários que viram a audácia como uma infração e destacou que permitir a quebra das leis levaria o país ao caos.
"Assim como nós pedimos às pessoas que respeitem as leis dos países para os quais vão viajar, as pessoas devem respeitar as leis deste país", escreveu aos seus 41 mil seguidores.
O site "Saudi Okaz" reportou que as autoridades em Ushaiager pediram ao governo do estado e à polícia que responsabilizassem a mulher pelo vídeo. Os agentes dedicados a policiar a moralidade dos cidadãos sauditas teriam se correspondido com outras agências para investigar o vídeo.
Com mais de metade da população do país abaixo dos 25 anos, o herdeiro do trono, Príncipe Mohammed bin Salman, pressiona pela abertura ao entretenimento em aceno à juventude. Mas nada que abale as rígidas estruturas de desigualdade de gênero e restrições de liberdades às mulheres. A Arábia Saudita é considerada uma das nações mais conservadoras e restritivas para os direitos das mulheres.


fonte oglobo.globo.com 
equipe giro feijó

equipe giro feijó

Comentários desta notícia

Atenção, não somos responsáveis pelo conteúdo do comentário que você escrever aqui, mas podemos exluir se for necessário!
Tecnologia do Blogger.