Última hora
recent

Dono de posto de gasolina na capital se nega a entregar nota a cliente e o chama de “babaca”



Além de chamar o consumidor de “babaca”, o empresário Wolney Paiva, proprietário do Posto Auto Parque, na rua Marechal Deodoro, se negou a entregar a nota fiscal pedida pelo cliente. O fato tomou conta das redes sociais depois que o vídeo gravado pelo consumidor foi divulgado em grupos de WhatsApp e pelo Facebook.
Em nota, após a enorme repercussão do vídeo, o empresário Wolney Paiva disse que o frentista entregou ao consumidor o cupom fiscal regente ao abastecimento, mas que o rapaz “recusou o cupom fiscal e exigiu que fosse estregue uma nota fiscal. O frentista informou que seria a mesma coisa, cupom fiscal e nota fiscal. O consumidor ficou indignado e bradou em alto e bom som que todo proprietário de posto de gasolina é rico e LADRÃO, o que poderá ser comprovado por dezenas de testemunhas que estavam presentes no local. Diante da situação o proprietário do posto de gasolina, Wolney Paiva, intercedeu e explicou ao consumidor que cupom fiscal e nota fiscal seria a mesma coisa e tinham a mesma finalidade. Mesmo assim o proprietário informou que além do cupom fiscal enviaria a nota fiscal para o e-mail do consumidor, o que não foi aceito pelo mesmo”, diz a nota do proprietário do Posto Auto Parque.


Procon repudia o ato do empresário e diz que nota é um direito do consumidor
O Procon do Acre disse nesta quarta-feira, 23, que condena a prática, uma vez que a Lei 8.137/90 que rege sobre Crimes Contra a Ordem Tributária, dispõe que a recusa do fornecimento de tal documento, caracteriza-se como crime, cuja competência de fiscalização é da Receita Federal e das Secretarias de Fazendas Estaduais.
O Procon lembrou que a nota fiscal é essencial na garantia dos direitos do consumidor estampados no Código de Defesa do Consumidor. “Trata-se de comprovar que ele pediu pelo serviço e que isso foi realizado. Trata-se de comprovar que ele comprou tal produto e que tal produto foi entregue.”
O órgão de fiscalização completa que “a nota fiscal é um direito do consumidor e um dever do comerciante. A sua falta pode separá-lo do direito à garantia do produto, do direito à restituição ou à troca no caso de vícios, falhas ou defeitos.”

fonte  www.ac24horas.com
equipe giro feijó

equipe giro feijó

Comentários desta notícia

Atenção, não somos responsáveis pelo conteúdo do comentário que você escrever aqui, mas podemos exluir se for necessário!
Tecnologia do Blogger.