Última hora
recent

EM FEIJÓ: Juiz concede liminar para excluir perfil falso em redes sociais de V.S.O.


O Juiz da vara criminal de Feijó. Dr. Alex Oivane expediu nesta sexta-feira, (29) liminar em favor de V. S. O. para excluir do Google Brasil Internet Ltda e Facebook Serviços On-line do Brasil Ltda, através de um perfil falso, com o nome “kel Freire” URL https://www.facebook.com/kel.freire.94
De acordo com as informações contidas nos autos, a reclamante está sendo exposta publicamente por meio de um perfil falso da rede social facebook, com exposição de fotografias, listagens de amigos e conversas instantâneas, no período de 22/09/2017.
A usuária afirma que denunciou a existência do perfil falso por várias vezes, aguardando que o Facebook o excluísse. No entanto, vários dias se passaram e nada ocorreu, levando a mulher a ingressar com ação por danos morais. Ela pedia a exclusão do falso perfil e indenização de R$ 18 mil.
Na decisão proferida pelo o Juiz da comarca de Feijó, Dr. Alex Oivane, ação foi julgada nos termos do artigo 3º,Inciso I, da lei nº 9.099/95. Ele destacou ainda que o foro competente para julgar ação de representação civil é do domicílio do autor ou do lugar do ato ou fato nos termos do artigo 4º,Inciso III da lei nº 9099/95. Veja o teor da decisão completa proferida pelo o Juiz em primeira instância:
Decido.
1 – Da legitimidade passiva da empresa Facebook Serviços On-line do Brasil Ltda. Inicialmente, destaco que a empresa Facebook Serviços On-line do Brasil Ltda tem legitimidade para figurar no polo passivo da ação, uma vez que fora constituída pelo grupo econômico – pessoas jurídicas denominado Face book Global Holdings II e Facebook Global Holdings I, ou seja, pelo grupo econômico que e se apresenta no mercado com a marca facebook, explorando serviços no ambiente digital, conforme se pode depreender do endereço eletrônico <https://pt-br.facebook.com/FacebookBrasil> .Além disso, a demandada está submetida ao disciplinado na Lei nº 12.965/2014, que estabelece princípios, garantias, direitos e deveres para o uso da Internet no Brasil.
Diante desse contexto, verifico que a empresa Facebook Serviços Online do Brasil tem legitimidade para figurar no polo passivo desta ação. 2 – Da competência do Juizado Especial Cível: Tendo em vista que se trata de ação de reparação de danos, com valor inferior a 40 salários mínimos, entendo que o Juiz do Especial Cível é competente para julgar esta demanda, nos termos do art. 3.º, inciso I, da Lei n.º 9.099/95. Destaco, ainda, que o foro competente para julgar ação de reparação civil é do domicilio do autor, ou do lugar do ato ou fato,nos termos do art. 4.º, inciso III, da Lei n.º 9.099/95, vejamos: “Art. 4º É competente, para as causas previstas nesta Lei, o Juizado do foro:(…)III – do domicílio do autor ou do local do ato ou fato, nas ações para reparação de dano de qualquer natureza.
Assim, entendo ser competente este juízo para o julgamento da presente ação. 3 – Da requisição judicial dos registros do Facebook: Nos termos da 12.965/2014 – Marco Civil da Internet no Brasil, é permitido que qualquer juízo requeira informações acerca de um perfil criado na rede social, tendo em vista o disposto nos artigos 7.º e 22 da referida lei que dispõe: “Art. 7o O acesso à internet é essencial ao exercício da cidadania, e ao usuário são assegurados os seguintes direitos:I – inviolabilidade da intimidade e da vida privada, sua proteção e indenização pelo dano material ou moral decorrente de sua violação; II – inviolabilidade e sigilo do fluxo de suas comunicações pela internet, salvo por ordem judicial, na forma da lei; III – inviolabilidade e sigilo de suas comunicações privadas armazenadas,salvo por ordem judicial;.”. “Art. 22. A parte interessada poderá, com o propósito de formar conjunto probatório em processo judicial cível ou penal, em caráter incidental ou autônomo,requerer ao juiz que ordene ao responsável pela guarda o fornecimento de registros de conexão ou de registros de acesso a aplicações de internet.Parágrafo único. Sem prejuízo dos demais requisitos legais, o requerimento deverá conter, sob pena de inadmissibilidade:I – fundados indícios da ocorrência do ilícito;II – justificativa motivada da utilidade dos registros solicitados para fins de investigação ou instrução probatória; e III – período ao qual se referem os registros.
Diante desses conceitos, entendo que a pedido da parte interessada este juízo tem competência para requisitar o teor das comunicações realizadas por intermédio do Facebook, objetivando a apuração de todos os fatos narrados na petição inicial para a apuração de eventual responsabilização. 4 – Do pedido de tutela de urgência:Para que possa ser deferida a tutela de urgência faz-se necessário o preenchimento dos requisitos previstos no art. 300 do novo Código de Processo Civil, quais sejam, a) a presença da probabilidade do direito; e, b) do perigo de dano ou do risco ao resultado do processo
fonte  www.feijo24horas.com.
equipe giro feijó

equipe giro feijó

Comentários desta notícia

Atenção, não somos responsáveis pelo conteúdo do comentário que você escrever aqui, mas podemos exluir se for necessário!
Tecnologia do Blogger.